Afinal, para que servem os sonhos?

Afinal, para que servem os sonhos?


20/03/2013

Julio Nelson Devicari Cheda: Psicólogo

Desde as remotas épocas da humanidade filósofos, cientistas e religiões buscaram entender o que os sonhos significam, compreender de onde se originam e qual o propósito de existirem.

Em toda a história houve especialistas em interpretar os significados de sonhos, onde cada “cenário” e história possuía um sentido já determinado e generalizado. Estas interpretações mudaram alguns momentos na história, pois os sentidos encontrados fizeram com que imperadores, reis e governadores mudassem radicalmente seus planejamentos afim de concretizar ou evitar o que haviam sonhado… Interessante, não?

Atualmente ainda encontramos algumas revistas e pessoas que utilizam este tipo de interpretação afim de dar um significado pronto para cada sonho, mas esta quase sempre não é acurada pois cada ser humano tem uma realidade própria e tende a ter significados muito particulares para cada “pedacinho” de seu sonho.

Então como funcionam e para que servem essas histórias fantásticas que imaginamos durante nosso sono?

Pode parecer estranho, mas segundo a linha de pensamento derivada de Freud, a Psicanálise, os sonhos existem para que possamos realizar desejos que não podemos ou não sabemos como sanar durante a vida consciente. Pode até parecer loucura, mas até mesmo os pesadelos representam desejos inconscientes nossos… E é aí que entra o processo de “camuflagem”.

Estou chamando de camuflagem porque é quase isso que nossa mente faz! O ser humano possui desejos tão profundos e primários que se ele se desse conta da existência deles ficaria bastante desequilibrado e chocado! Não estou dizendo que são coisas ruins ou socialmente não aceitas, mas podem ser conteúdos que a pessoa ainda não tem capacidade de suportar se viessem à tona (Ex.: Conflitos na escolha sexual, raiva de algum ente querido, etc.)

Para “esconder” o desejo real, nosso inconsciente pega o desejo, muda o cenário onde ele acontece e substitui as ações por atos semelhantes, depois repete este processo várias vezes até que o sentido real esteja várias camadas abaixo… Isso falando de forma bastante simplificada. Complexo? Vamos exemplificar:

“Glória tem 35 anos e tem três filhos. Certo dia ela sonha algo bastante estranho, que parece não ter pé nem cabeça. Neste sonho, Glória dança uma valsa com um colega de trabalho que ela nem conversa direito no meio de um campo! Como ela já faz análise fazem vários anos, decide levar este conteúdo para seu terapeuta. Durante a interpretação, ela descobre parte por parte o que cada característica de seu sonho significa.

- Glória sempre gostou de ir à fazenda, pois lá ficava com seu pai e divertia-se muito no meio do campo, para ela, era uma verdadeira festa. Sua mãe sempre falava que ela parecia estar em um parque de diversões;

- Seu colega de trabalho que estava presente no sonho lembrava-a de alguém de um passado bastante remoto, seu primeiro namorado. No mesmo dia do sonho, Glória achou ter visto ele andando no centro da cidade, porém não teve certeza;

- Dançar é algo que ela adora, acha que é um ato bonito e muito sensual, bastante erótico.

Glória então percebeu que o sonho na verdade realizava um desejo muito antigo e secreto que possuía, que era o de ter feito sexo com seu primeiro namorado. Durante o namoro Glória não realizou tal ato pois ainda era insegura e seu namorado acabou por terminar o relacionamento por isso em um dia em que foram à um parque de diversões, deixando-a bastante abalada.

Para lidar com o sentimento de culpa remanescente daquela época, seu inconsciente gerou a fantasia de que Glória fez sexo com seu namorado, aliviando assim as tensões ocasionadas por tal trauma. Sua mente escondeu o significado real do sonho substituindo diversos pontos para que Glória não ficasse ansiosa e tivesse que lidar com algo que prejudicaria seu equilíbrio mental.”

Ficou mais claro? Espero que sim. Obviamente o caso acima é fictício e foi interpretado de forma bastante simples, apenas para exemplificar a ideia geral.

Em resumo, nossos sonhos servem como uma válvula de escape para os desejos mais profundos que possuímos, aqueles que por existirem, acabam influenciando diretamente em nossa qualidade de vida. Para que possamos continuar vivendo sem entrar em um processo patológico, o nosso inconsciente pega estes desejos e os realiza de forma fantasiosa durante nossos sonhos, aliviando assim um pouco das tensões inconscientes.

Durante a análise ou terapia com base psicanalítica, o paciente investiga seus sonhos em conjunto com o terapeuta para que assim tenha consciência do que acontece “por trás das cortinas” e assim, ir fortalecendo e potencializando o seu existir.

comments powered by Disqus